Notícias- Volta Redonda

Administração do prefeito Neto, que reassumiu o governo em 2021, tem obtido diversos retornos positivos em investimentos, obras, programas e outras ações, que foram observados em levantamentos e estudos

O trabalho de reconstrução ainda está em andamento, mas Volta Redonda obteve grandes avanços em vários setores desde 2021, quando a atual administração municipal, comandada pelo prefeito Antonio Francisco Neto, retornou ao governo. Em quase três anos, a cidade teve obras entregues e outras tantas estão em execução; investimentos nos mais diversos setores; programas e projetos que atendem a toda a população; e outras melhorias que podem ser observadas diariamente pelos quase 300 mil moradores da cidade.

Essa nova realidade é atestada pelos números que fizeram Volta Redonda ser novamente destaque em diversos rankings, índices e estudos independentes divulgados durante o ano por instituições de alcance nacional. Setores como emprego, terceira idade, gestão fiscal e saúde são alguns daqueles em que o governo municipal vem tendo o seu trabalho de reconstrução reconhecido.

Avanços na saúde pública

No caso da saúde pública, um dos pontos mais críticos nos anos anteriores ao novo governo municipal, dois importantes estudos de desenvolvimento – o Ranking Connected Smart Cities e o Ranking de Competitividade dos Municípios, que medem indicadores de todos os municípios do país – foram publicados neste segundo semestre, e apontam os resultados positivos alcançados por Volta Redonda na qualidade da oferta dos serviços do SUS (Sistema Único de Saúde).

Segundo o Ranking Connected Smart Cities, divulgado em setembro, o município é o melhor avaliado da região Sul Fluminense – e o terceiro do estado do Rio de Janeiro – no tema Saúde. Desenvolvido pela empresa de consultoria Urban Systems, o estudo levou em consideração investimentos públicos feitos no setor, oferta de leitos, qualidade dos profissionais e mortalidade infantil.

Se antes sequer aparecia entre as 100 primeiras cidades mais bem avaliadas, em 2023 Volta Redonda alcançou a 61ª posição no eixo Saúde. Vale lembrar que o Smart Connected Cities serve como ferramenta de entendimento e definição dos indicadores que apontem o estágio das cidades brasileiras para o seu desenvolvimento inteligente, sustentável e humano.

Ranking de Competitividade

Outro levantamento em que a saúde pública de Volta Redonda se destacou foi o Ranking de Competitividade dos Municípios, ferramenta que tem entre seus objetivos apoiar os líderes públicos brasileiros nas tomadas de decisão, com foco na melhoria da gestão das cidades. Realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Gove Digital e a Seall, o levantamento foi lançado em agosto e mostrou que a cidade subiu 27 posições no pilar “Acesso à Saúde” (que faz parte do eixo “Sociedade” do ranking), em relação ao estudo anterior, e 11 posições no ranking geral. O estudo é realizado a partir de tópicos como cobertura da Atenção Primária e cobertura vacinal, entre outros.

Investimentos que dão retorno

Tais avanços nos índices só foram possíveis graças aos investimentos no setor realizados pela atual administração – seja com recursos próprios ou por meio de parcerias –, que a população do município tem percebido no seu dia a dia. Entre eles estão o novo Centro Cardiológico Municipal Camilo Riker Furtado, no bairro Aterrado; os novos leitos do Hospital Municipal Dr. Munir Rafful, no Retiro; e reformas nas unidades básicas de Saúde (USB) e de Saúde da Família (UBSF).

Além do que já foi entregue, a prefeitura segue com a obra da nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h do bairro Santo Agostinho, que está na reta final. Também segue avançada a construção do Hospital da Criança, ao lado do Hospital do Retiro, em que estão sendo investidos R$ 6 milhões de emenda parlamentar do então deputado federal Delegado Antônio Furtado e R$ 9,4 milhões do governo estadual, por meio do projeto “Somando Forças”, da Secretaria de Estado das Cidades.

Já o Hospital São João Batista, referência na região, está sendo ampliado por meio de uma parceria entre a Prefeitura de Volta Redonda e o Governo do Estado. Orçada em cerca de R$ 20 milhões, a obra envolve a construção de uma edificação de cinco pavimentos – sendo três andares de estacionamento com 70 vagas, e um andar que vai funcionar exclusivamente como centro cirúrgico. Esse novo prédio será interligado ao atual hospital e contará com rampa e elevador.

“É com muita satisfação que temos conseguido recuperar o serviço de saúde pública da nossa cidade, que sofreu muito nos anos anteriores. Os investimentos que fizemos já deram resultados, e tenho certeza que podemos melhorar ainda mais. É por isso que temos investido em obras como a nova UPA do Santo Agostinho, na construção do Hospital da Criança e na ampliação do Hospital São João Batista”, afirmou o prefeito Neto.

Atenção aos idosos

Cuidar da Saúde não se restringe a construir e/ou reformar os espaços de atendimento, por exemplo, mas também cuidar do bem-estar cotidiano da população. Neste ponto, Volta Redonda tem a tradição de desenvolver programas e ações voltados aos idosos, e por isso o município é o primeiro do Sul Fluminense – e quarto do estado do Rio – no Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade, divulgado em outubro pelo Instituto de Longevidade (IDL), associação sem fins lucrativos que estuda os impactos socioeconômicos do envelhecimento.

Volta Redonda ficou em 58º lugar no ranking nacional do IDL, que reúne dados de 5.570 cidades do país e tem por objetivo avaliar a capacidade dos municípios em criar as condições adequadas para um envelhecimento saudável e sustentável. No estado do Rio, a cidade ficou atrás apenas de Niterói, Itaperuna e Maricá – e à frente da capital fluminense.

O Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade é feito com base em 23 indicadores, divididos em três variáveis: saúde, socioambiental e economia. Esses indicadores buscam determinar os fatores que afetam a qualidade de vida da população com 60 anos ou mais, uma vez que é fundamental entender o que é preciso para garantir longevidade e um envelhecimento ativo e saudável à população.

Programas e projetos para a Melhor Idade

Conforme os dados mais recentes do Censo 2022 divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Volta Redonda tem 55.380 pessoas acima dos 60 anos vivendo na cidade, o que representa 21% de sua população. Para atender a esse expressivo grupo populacional, a prefeitura oferece, por meio de suas secretarias, diversos programas e projetos a fim de promover a saúde e o bem-estar da terceira idade.

Entre eles está o “Viva a Melhor Idade”, desenvolvido pelas secretarias de Esporte e Lazer (Smel) e de Ação Comunitária (Smac), que premia os participantes assíduos de atividades da Smel e de grupos de convivência da Smac com passeios a destinos turísticos, incluindo atividades que promovem o lazer, socialização, entretenimento e saúde para esse público.

O município oferece, ainda, espaços como o Centro-Dia para Idosos; o Centro-Dia Synval Santos (Alzheimer); e ações como a Fanfarra da Melhor Idade. Nas áreas de esporte e lazer, os idosos de Volta Redonda contam com as atividades de Ginástica para a Melhor Idade, realizadas em ginásios, quadras e outros espaços nos bairros, e a Academia da Melhor Idade, que funciona no Estádio da Cidadania.

É no estádio, aliás, que funciona a Academia da Vida Oscar Cardoso, unidade escolar da Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda) que oferece cursos para a terceira idade e tem, entre seus objetivos, reforçar a linha de cuidado e promover o envelhecimento saudável, com ações voltadas para a valorização da pessoa idosa.

O prefeito Neto acrescenta que a cidade oferece, ainda, a Patrulha do Idoso e o Núcleo de Atendimento ao Idoso da delegacia, para dar mais segurança. Ele comemora o retorno, em 2024, do tradicional Bloco da Vida. “O Poder Público tem esse papel de cuidar dos nossos idosos, que tanto contribuíram para a construção da nossa Volta Redonda.”

Mais empregos

A Prefeitura segue trabalhando com ações e parceiros a fim de que o município tenha um ambiente favorável para a geração de empregos, e os números do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego) são prova de que os resultados neste setor estão sendo alcançados.

De acordo com os dados divulgados em outubro – referentes aos meses de janeiro a setembro –, Volta Redonda tem um saldo positivo de 1.472 novas contratações (24.413 admissões contra 22.941 desligamentos). Ainda segundo o Caged, o município registrou um total de 299 vagas em setembro, com o desempenho tendo sido puxado pelos setores de Indústria e Comércio.

Para o futuro, vale destacar o anúncio da retomada das atividades na fábrica da Cimento Tupi, com a geração de mais de 50 novos empregos, e a aprovação pela Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin-Rio) da implantação do Condomínio Industrial.

“São empreendimentos que reforçam nossa vontade em fazer ainda mais para que a geração de empregos seja contínua em Volta Redonda. Sempre tivemos tradição no comércio e indústria, e a retomada da Cimento Tupi e a chegada do Condomínio Industrial nos deixam mais otimistas”, declarou Neto.

Melhora na gestão fiscal

A atual administração municipal também tem obtido avanços consistentes no que diz respeito à gestão fiscal, atestada como Boa pelo Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), referente a 2022. O índice apontou, ainda, níveis de excelência nos indicadores de autonomia e liquidez, além de registrar evolução da avaliação nos últimos dois anos, quando comparados a 2020.

Com pontuação que varia de zero a um e composto pelos indicadores de “Autonomia”, “Gastos com Pessoal”, “Liquidez” e “Investimentos”, o índice geral de Volta Redonda ficou em 0,7, o que deu à cidade a classificação de Boa Gestão (entre 0,6 e 0,8) – superando, inclusive, o índice geral do Sul Fluminense (0,6). O bom desempenho se aplica ao índice específico de gastos com pessoal (0,6). Em relação à Autonomia e à Liquidez, o município conquistou nível de Excelência (superior a 0,8 pontos).

Quanto ao panorama fiscal, o IFGF mostra que Volta Redonda melhorou nos anos de 2021 e 2022, quando a administração municipal já estava novamente sob a responsabilidade do prefeito Antonio Francisco Neto. Enquanto o índice foi de 0,6 em 2020, nos anos seguintes ele chegou e se manteve em 0,7.

A edição mais recente do IFGF analisou as contas de 5.240 municípios brasileiros, com dados oficiais de 2022, que são os últimos disponíveis e foram declarados pelas próprias prefeituras à Secretaria do Tesouro Nacional (STN). Segundo o presidente da Firjan Sul Fluminense, Henrique Nora Júnior, o Índice fornece uma visão das administrações públicas regionais, com o objetivo de direcionar as necessárias reformas estruturais.

No caminho certo

Para o prefeito Antonio Francisco Neto, o bom desempenho de Volta Redonda nos mais diversos rankings nacionais, galgando posições tanto a nível estadual quanto federal, demonstra que o trabalho de reconstrução da cidade está sendo um sucesso. Ele, porém, ressalta que os números, as estatísticas, só aumentam a responsabilidade e o compromisso de fazer da cidade um lugar ainda melhor.

“Ficamos muito felizes em ter Volta Redonda com um ótimo desempenho nesses rankings. Eles são a prova, em números, do trabalho que temos realizado para recuperar Volta Redonda dos anos difíceis pelos quais passamos. Assumimos em 2021 com o compromisso de reconstruir Volta Redonda, de fazer dela a cidade em que sonhamos viver, e esses índices são apenas uma pequena amostra de nossos resultados. E o nosso povo pode ter certeza que ainda há muito a ser feito, recuperado, e que estamos cada vez mais comprometidos nessa missão”, disse Neto.

Foto de Cris Oliveira – Secom/PMVR



Publicidade

Share
 
Rua Pedro Maria Neto, 17/101 - Aterrado - 27.215-590 - Volta Redonda - RJ
Todos os direitos reservados - 2021
Guia Comercial Sul Fluminense
© 2009 / 2021 Guia Sul Fluminense - Desenvolvido por ABCMIX - 2021
We use cookies
Utilizamos cookies no nosso website. Alguns deles são essenciais para o funcionamento do site, enquanto outros nos ajudam a melhorar este site e a experiência do utilizador (cookies de rastreio). O utilizador pode decidir por si próprio se quer ou não permitir cookies. Note que, se os rejeitar, poderá não conseguir utilizar todas as funcionalidades do site.