Secretaria de Assistência Social formaliza novas parcerias no combate à Violência Doméstica

Secretaria de Assistência Social formaliza novas parcerias no combate à Violência Doméstica

Rede de Farmácias Economize formaliza participação à Campanha Sinal Vermelho

 

A Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos de Barra Mansa prossegue com a Campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica, criada pela Associação dos Magistrados Brasileiros, em parceria com o Conselho Nacional de Justiça.  Na manhã desta quinta-feira (26), a Rede Economize formalizou a participação à iniciativa, que no município já conta com a participação de 83 farmácias.

 

De acordo com a secretaria da Pasta, Ruth Coutinho, a Ruthinha, o distanciamento social necessário para conter a propagação do novo corona vírus trouxe, entre outras consequências, o aumento da violência doméstica. “Como o isolamento exige um tempo maior de convivência, muitas mulheres enfrentam dificuldades para denunciar o agressor ou buscar ajuda. Estas parcerias com as farmácias ajudam a coibir às agressões as mulheres, através de treinamento aos farmacêuticos e balconistas para acolhimento das vítimas e tomada de providências”, destacou Ruthinha, lembrando que os atendentes das farmácias não são conduzidos a delegacia, tampouco são convocados para testemunhar, o papel deles é na comunicação dos fatos à polícia.

 

A campanha possibilita às vítimas a chance de denunciar a violência sem chamar a atenção do seu parceiro, o que eventualmente poderia gerar novas agressões. Desta maneira, a mulher deve fazer um X na palma das mãos, utilizando caneta ou batom, e mostrar a um dos atendentes. Ela receberá ajuda e poderá acionar as autoridades e órgãos competentes que atuam frente à estes casos. O direito ao sigilo e à privacidade é garantido.

 

A responsável pelas orientações jurídicas da Secretaria de Assistência Social, Vanessa do Amaral Serpa, relatou que o Creas (Centro de Referência Especializado em Assistência Social) tem uma média de 30 atendimentos de violência doméstica por mês. “Estes números se referem apenas as demandas que chegam através da nossa Secretaria. Porém, outros equipamentos públicos, como o Disque 180, o Hospital da Mulher e a 90ª DP, prestam este tipo de atendimento. Por isto, é possível afirmar que o patamar da violência doméstica é maior”.

 

Vanessa disse ainda que nos próximos dias, os cartazes da campanha serão afixados em outras farmácias. “Contamos com a colaboração da advogada Priscila Sales, integrante da OAB Mulher, para a confecção dos cartazes. Vale ressaltar que a entidade é uma grande parceira da Secretaria de Assistência Social”

 

O diretor da Rede de Farmácia Economize, Victor de Souza do Nascimento, comentou sobre a importância da campanha e da parceria. “Infelizmente, a violência doméstica ainda é uma realidade em nosso país. Daí, a necessidade de a sociedade se atentar para a proteção das vítimas e das crianças que fazem parte dessa relação”.

 

Aumento do número de casos

 

Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), os registros de boletins de ocorrência apresentaram queda nos primeiros dias de isolamento/distanciamento social pela dificuldade das mulheres de acionar os canais de denúncia.

 

Porém, a violência contra a mulher não diminuiu. Ainda de acordo com o FBSP, houve um crescimento dos números de feminicídios, assim como nos registros do 190 para atendimentos relativos à violência doméstica. Além de ter aumentado a violência contra a mulher no ambiente doméstico, as oportunidades de acionar os canais de ajuda diminuíram.

 

Denúncias podem ser feitas pelos órgãos que compõem a rede de apoio

CENTRAL DE ATENDIMENTO À MULHER – 180

DISQUE DENÚNCIA – 100

CREAS – (24) 3322-6057/ 3322-6534

HOSPITAL DA MULHER – (24)3324-5991

90ª DELEGACIA DE POLÍCIA – (24) 3328-4863

OAB MULHER – (24) 3323-4217

UPA CENTRO – (24) 3323-4471

OUVIDORIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO – 127

 

Foto: Paulo Dimas

Leia também: