Prefeitura de Volta Redonda programa ação para coibir ‘isoporzinhos’ na Colina

Prefeitura de Volta Redonda programa ação para coibir ‘isoporzinhos’ na Colina

Reunião com moradores e comerciantes do bairro Colina serviu para alinhar novas sugestões de atuação

 

Uma equipe da Prefeitura de Volta Redonda se reuniu na tarde desta quarta-feira, dia 21, no auditório do Palácio 17 de Julho, com comerciantes e moradores do bairro Colina. O objetivo do encontro foi alinhar novas ações da força-tarefa multissetorial implantada para fiscalizar o funcionamento das atividades comerciais e sociais dentro das normas de prevenção à Covid-19.

 

De acordo com os moradores e comerciantes, estão ocorrendo, principalmente aos fins de semana, os eventos clandestinos chamados de ‘isoporzinho’, incluindo aglomerações com som alto e outros tipos de transtornos durante as madrugadas no bairro. As ocorrências acontecem na Praça da Colina, região com bares e restaurantes.

 

Algumas sugestões foram apresentadas em conjunto, como o uso de mensagens via o aplicativo Whatsapp para denúncias, atuação constante do poder público e estratégias para coibir o comércio ilegal.

 

Pela administração municipal, estavam presentes representantes das secretarias de Fazenda (SMF), Extraordinária de Segurança Pública (Sesp), Desenvolvimento Econômico e Turismo (Smdet), Comunicação (Secom), além do Gabinete de Estratégia Governamental (Gegov) e da Guarda Municipal (GMVR).

 

Durante o encontro, também ficou definida a realização de uma intervenção já no próximo fim de semana, com intensificação das ações para coibir as ocorrências relatadas. Antes, o planejamento envolverá uma reunião com representantes da Polícia Militar para uma atuação em conjunto.

 

Força-tarefa – A força-tarefa trabalha para coibir aglomerações na cidade, fazendo rondas por bares e restaurantes e atuando com protocolo especialmente implantado para combater os ‘isoporzinhos’.

 

A equipe da Secretaria Municipal de Fazenda (SMF), que compõe a força-tarefa, criou ainda um protocolo para impedir esse tipo de evento clandestino. A fiscalização verifica bares, restaurantes e depósitos de bebidas que estão incentivando as aglomerações, seja com a venda de bebidas alcoólicas ou com o fornecimento de mesa e cadeiras para esses eventos.

 

Também são verificadas as infrações ao Código de Trânsito, como veículos estacionados em local proibido ou com som alto. Os responsáveis podem ser multados, ter mercadorias e equipamentos apreendidos e os estabelecimentos podem ser interditados e ter o alvará cassado.

 

A ação é realizada em conjunto pelos fiscais do Departamento de Atividades Econômicas e Sociais da SMF, agentes da Sesp, Guarda Municipal e Polícia Militar. O poder público conta com a colaboração da população que deve continuar denunciando pela Central de Atendimento Único (CAU), pelo telefone 156, e aplicativo FiscalizaVR. Além disso, a operação é orientada pelo Centro de Inteligência e Segurança Pública (Cisp), que pode identificar aglomerações pelas câmeras de segurança do município.

 

Secom/VR

 

Leia também: