Banco de Alimentos quer ampliar parcerias com empresas em Volta Redonda

Banco de Alimentos quer ampliar parcerias com empresas em Volta Redonda

Programa municipal de segurança alimentar doa cerca de 15 toneladas de alimento por mês para instituições beneficentes

 

O Banco de Alimentos de Volta Redonda é um programa municipal de segurança alimentar e que tem como objetivo diminuir o desperdício de alimento no município e colaborar para manutenção de instituições beneficentes que fornecem comida à população carente. Hoje, o programa conta com sete supermercados parceiros, além da Cooperativa de Produtores de Santa Rita de Cássia, e consegue doar cerca de 15 toneladas de alimentos por mês. A ideia é ampliar o número de empresas parceiras antes de começar as atividades de 2020, no próximo dia 03 de fevereiro. 

 

O prefeito Samuca Silva ressaltou que o Banco de Alimentos é uma das políticas públicas para promoção da segurança alimentar implantadas no município. “Reabrimos, com recursos próprios, o Restaurante Popular; 30% dos alimentos servidos na merenda escolar são comprados do produtor familiar; e incentivamos a horta comunitária”, citou, lembrando que Volta Redonda vai implantar o primeiro mercado público de orgânicos do Estado do Rio de Janeiro, que vai funcionar no Aterrado. 

 

A coordenadora municipal de Segurança Alimentar, Cristiane Seabra, explicou que ampliando as empresas parceiras será possível aumentar a quantidade de alimento doado. “Os interessados em participar como parceiros do programa podem entrar em contato pelo telefone (24) 3339-9186”, pediu.

 

Ela acrescentou ainda que o supermercado fica isento de qualquer responsabilidade a partir do momento que faz a doação. “A equipe do banco vai até o local buscar os alimentos e passa a ser responsável pela qualidade do que vai repassar para a população”, esclareceu Cristiane.

 

Os alimentos recolhidos são, na maioria, hortifrutigranjeiros, que não foram vendidos e serão substituídos nos supermercados, além de alguns com pequenas imperfeições que o consumidor deixa na banca. O banco recebe também uma enorme quantidade de ovos, pois quando ocorre a quebra de uma unidade, toda cartela deve ser descartada. Neste caso, a equipe substitui a embalagem aproveitando os ovos em bom estado. 

 

O processo de seleção, higienização e armazenagem seguem procedimento rigoroso com a supervisão de uma nutricionista. Primeiro é feita a seleção dos alimentos, que são inseridos em solução clorada. Após enxágue com água corrente, são mantidos sob refrigeração. 

 

O Banco de Alimentos, que em 2019 ganhou nova identidade visual, balança de pesagem e máquina seladora, funciona na Rua Pitágoras, s/nº, no Retiro, e faz doações no Consea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar). Voluntários das instituições fazem retirada semanal na sede do banco. 

 

Fotos de divulgação – Secom/VR

Leia também: