Como resolver simulados durante o ano pode ajudar na hora da prova do Enem

 

     Resolver simulados com frequência pode ser um grande aliado dos alunos que estão se preparando para o Enem, tanto do ponto de vista psicológico quanto em relação ao conhecimento em si. Para Camila Pereira, gerente de produto do Stoodi - plataforma de ensino a distância focada em Enem e pré-vestibular - fazer diversos simulados durante o ano é um excelente recurso para ganhar mais familiaridade com o estilo das questões da prova (que neste ano acontece nos dias 5 e 12 de novembro), tornando-a menos intimidante. 


     Outros benefícios, segundo Camila, são: contribuir para controlar o nervosismo e a expectativa desta reta final, colocar à prova o que foi aprendido, descobrir quais estratégias de resolução funcionam melhor e localizar os pontos fracos do aluno, que precisarão ser trabalhados com mais atenção posteriormente. 

     A ideia de fazer simulados é justamente reproduzir o ambiente do dia do Enem. Portanto, é importante, de acordo com a gerente de produto do Stoodi, que o aluno faça provas que tenham número idêntico de questões e utilize o mesmo número de horas para realizá-la: cinco horas e meia para fazer a redação e resolver os cadernos de Ciências Humanas, Linguagens e Redação, e quatro horas e meia para resolver os de Matemática e Ciências da Natureza. Isso dá dois minutos e quarenta segundos, em média, para cada questão. Outras dicas importantes são: fazer a prova no mesmo horário, às 13h30 e não levantar toda hora para ir ao banheiro ou comer. Mexer no celular, então, nem pensar.

     "Por isso, é importante garantir um local onde não haja interrupções, para a realização do simulado, além de deixar todo o material necessário à mão: caneta, lápis, borracha, pequenos lanches. Caso o simulado seja online, também providenciar folhas de papel para servir de rascunho", orienta Camila.

 

REDAÇÃO


     O aluno que fizer Enem tem que escrever uma redação no primeiro dia. Portanto, mesmo a maioria dos simulados online não incluindo esta parte da prova, vale a pena o aluno contabilizar um tempo para fazê-la também no mesmo dia dos simulados referentes a Ciências Humanas, Linguagens e Redação. "O ideal é dedicar entre 60 e 90 minutos para o texto, no máximo. Além disso, não é indicado fazer a redação toda de uma vez, mas sim montar primeiro um esqueleto, resolver outra prova, e então finalizar o texto", explica Camila. 
    
     Não há uma indicação de quantos simulados devem ser feitos no decorrer do ano, mas Camila propõe que o aluno tente encontrar uma quantidade que permita a ele avaliar seu progresso nos estudos. "Importante fazer pelo menos duas provas que simulem todos os aspectos do Enem. Na primeira vez, o aluno vai entender como é a experiência de fazer a provas e, nas próximas, pode praticar as estratégias que achar mais efetivas. Vale frisar ainda que o segundo simulado seja feito um mês antes do exame", diz. 

     Buscando a aprovação no curso de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Universidade Estadual Paulista (Unesp) e Universidade de São Paulo (USP), a vestibulanda Amanda Goulart, de 19 anos e moradora de São José dos Campos (SP), já resolveu 18 simulados do Enem desde janeiro. Ela desenvolveu um modo próprio de preparação. "Faço dois simulados por mês. Em um final de semana faço a prova e, no seguinte, me dedico para fazer uma correção detalhada. Procuro e estudo como resolver as questões que eu errei e, mesmo nas que eu acertei, investigo se a forma que eu fiz para chegar ao resultado foi a mais indicada. Isso faz com que eu memorize melhor o conteúdo", comenta.

     Para ajudar os estudantes a se preparar para o Enem faltando apenas um mês para o exame, o Stoodi fará um simulado online aberto ao público nos mesmos moldes da prova. Nos dias 23 e 24 de setembro, serão aplicadas as provas de Linguagens e Ciências Humanas e no dia 30 de setembro e 1° de outubro, os alunos farão as provas de Matemática e Ciências da Natureza. As inscrições para o simulado podem ser feitas no sitewww.stoodi.com.br/simulados até o dia 22 de setembro, sexta-feira.

 

AVALIAÇÃO SIMILAR


     De modo a garantir que a experiência do aluno seja o mais próxima possível das edições do Enem, 80% da prova é constituída por questões inéditas e, 20% de perguntas antigas. O sistema de avaliação do resultado também se mantém fiel aos parâmetros do exame, sendo baseado no TRI (Teoria de Resposta ao Item).O aluno Moisés Santana Pio, de Candeias (BA), já garantiu sua inscrição. 

    Ele também tem 19 anos e espera conseguir uma vaga na Universidade Federal da Bahia. "Faço simulados todo o final de semana buscando colocar em prática os assuntos estudados de segunda a sexta-feira. Costumo começar a resolver a prova pelas disciplinas humanas e, a cada dez questões resolvidas, parto para outra área do conhecimento, de modo a refrescar a cabeça e garantir uma boa pontuação em todos os cadernos", diz.

    Outras técnicas básicas dadas pelo Stoodi para a resolução de simulados do Enem:

     - Aluno deve começar a prova pelas questões nas quais têm mais segurança. O método de correção do Enem penaliza a pontuação de quem erra as questões mais fáceis, mesmo acertando as mais difíceis.

     - Se não der tempo ou não souber responder as questões mais difíceis, o aluno deve respondê-las mesmo assim. Se for necessário chutar, importante avaliar as outras alternativas antes, de modo a eliminar as menos prováveis e aumentar as chances de acerto.

     - Em caso de questões com texto muito longo, aluno deve ler a pergunta antes de ler o texto. Assim, poderá focar apenas no que está sendo pedido no enunciado.


Sobre o Stoodi

Lançado em 2013, o Stoodi é uma startup de educação à distância que oferece videoaulas, plano de estudos e monitorias transmitidas ao vivo. A plataforma nasceu com o objetivo de democratizar o acesso à educação no país, oferecendo uma plataforma intuitiva e acessível para facilitar a vida dos estudantes em fase pré-vestibular e de alunos do ensino médio que precisam de reforço escolar. A plataforma já conta com quase 800 mil alunos cadastrados e 40 milhões de aulas assistidas, que correspondem a 5 milhões de horas de conteúdo.

Leia também: