Resende ganhará sensores de nível para monitoramento de rios em pontos estratégicos

Inea Defesa Civil Resende

Após solicitação da Defesa Civil do Município, equipe técnica do Inea visitou os locais previamente escolhidos para futura instalação dos equipamentos

 

O município de Resende ganhará reforço para o monitoramento dos rios em pontos estratégicos: três sensores de nível e quatro pluviômetros manuais. A ampliação do sistema de monitoramento do Rio Paraíba do Sul e seus afluentes faz parte de uma série de melhorias promovidas pela Prefeitura de Resende, por meio da Diretoria-Geral de Defesa Civil (DGDC).

 

A partir de solicitação feita pela Defesa Civil do Município, a equipe técnica do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) visitou esta semana, os locais previamente escolhidos para futura instalação dos equipamentos, que deverá acontecer após a conclusão do estudo de viabilidade. Em paralelo, na terça-feira, dia 18, agentes da Defesa Civil de Resende e de outros municípios participaram do Curso Básico de Meteorologia e Monitoramento Hidrometeorológico, realizado em parceria com a Seas (Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade), do Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Inea e da Universidade do Ambiente.

 

Ineditamente, os sensores de nível para acompanhamento dos rios, disponibilizados pelo Inea, serão implantados em três locais: no Rio Paraíba do Sul, em frente à sede da Administração Municipal; no Rio Alambari, altura do bairro Jardim Tropical; e no Córrego Água Branca, altura da sede da Administração Regional de Engenheiro Passos. Além disso, serão instalados quatro pluviômetros manuais, possivelmente, nas seguintes áreas: Engenheiros Passos, Vicentina, Vargem Grande e Vila da Fumaça.

 

O diretor-geral de Defesa Civil de Resende, Flávio Germano da Silva, explicou como funciona o sistema de monitoramento dos rios atualmente, salientando que a nova aquisição está sendo viabilizada a partir de reunião ocorrida na capital fluminense.

— A Defesa Civil, desde o início de janeiro, vem publicando o Boletim de Proteção e Defesa Civil, com dados sobre a previsão meteorológica para as próximas 24 horas, ocorrências de destaque e monitoramento dos rios e níveis pluviométricos. O monitoramento foca os níveis dos rios do município e seus afluentes – Sesmaria, Rio Paraíba do Sul e Rio Preto, bem como a quantidade de chuva acumulada por tempo avaliada nas estações automáticas de Alphaville, Cidade Alegria e Visconde de Mauá, instaladas pelo Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais). A Estação Hidrológica do Rio Sesmaria, que capta dados via radar para o satélite, funciona na ponte do Alphaville, e mede o nível do afluente. Após um mapeamento de risco, em janeiro passado, a Defesa Civil de Resende requereu junto ao Inea, no Rio de Janeiro, que fossem instalados sensores de nível, indicadores de volume de água dos rios utilizando o método de pressão, nos rios de Resende. Estes aparelhos, que são eficientes e de baixo custo, possuem baterias que serão carregadas por painel solar – frisa.

 

De acordo com o diretor-geral, os novos equipamentos vão ajudar a expandir a área de cobertura, aprimorando o campo de visão para alertas mais precisos dentro de um intervalo de tempo menor.

— A partir de levantamento, foi constatada a necessidade do aumento de equipamentos do nosso sistema de monitoramento, sendo escolhidos três locais considerados apropriados e de importante impacto para a população: no Rio Paraíba do Sul, em frente à Prefeitura; no Rio Alambari, altura do bairro Jardim Tropical; e no Córrego Água Branca, no distrito de Engenheiro Passos. Os sensores, colocados no fundo dos rios, vão fornecer os dados para uma central, que alimentará a base do Inea. O sistema otimizado, com equipamentos baseados em áreas de risco, vai contribuir para melhorar o trabalho preventivo, com acompanhamento em tempo real e emissão de alertas mais precisos e bem antecipados, evitando grandes transtornos com a execução de medidas necessárias diante de possíveis alagamentos e inundações, por exemplo. A nova estrutura vai gerar mais segurança e credibilidade para a população – informa, reforçando que o papel da Defesa Civil, além de atender os casos de emergência e calamidades públicas, é desenvolver tais atividades preventivas.

 

Além dos sensores de nível, o Inea doará quatro pluviômetros manuais. “O município ainda vai adquirir quatro pluviômetros, que deverão ser alocados nas seguintes áreas: Engenheiros Passos, Vicentina, Vargem Grande e Vila da Fumaça. A Defesa Civil de Resende ajudará na manutenção destes aparelhos, que deverá ocorrer uma vez por mês, em auxílio ao Inea, que já possui uma equipe especializada contratada para o serviço. As intervenções nos pluviômetros servem para garantir o bom desempenho da leitura dos dados técnicos. O Curso Básico de Meteorologia e Monitoramento Hidrometeorológico realizado no último 18, abordou diversos temas pertinentes ao sistema, inclusive, conhecimentos relacionados à manutenção. Cerca de 35 agentes participaram do curso de capacitação”, acrescentou o diretor-geral.

 

Para acessar os últimos boletins no site oficial da Prefeitura de Resende, confira o passo a passo: www.resende.rj.gov.br > Menu > Órgãos e Secretarias > Diretoria-Geral de Defesa Civil (DGDC) > Mais > Boletins. O boletim reúne informações pesquisadas nos sites do Cemaden, Inea, Climatempo e CPTec/Inpe (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos – Instituto de Pesquisas Espaciais).

 

PRÓXIMO ENCONTRO

 

O próximo treinamento, direcionado para agentes de órgãos da Defesa Civil da região, está previsto para março, com data e local a serem confirmados. O encontro com a temática sobre ‘Risco Geológico’ será realizado pelo Serviço Geológico do Brasil – CPRM, que está vinculado ao Ministério de Minas e Energia por meio da Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. Serão abordados assuntos sobre deslizamentos de terra, deslocamentos em massa, remoção de vítimas e situações de emergência, entre outros.

 

Foto Gleisiane Carvalho

Leia também: