Prefeitura de Resende paga produtores rurais por serviços ambientais

Prefeitura de Resende paga produtores rurais por serviços ambientais

Programa de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA-Hídrico) é feito em parceria com a Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul 

 

Os produtores rurais participantes do projeto PSA Hídrico (Programa de Pagamento por Serviços Ambientais) receberam neste mês de fevereiro os valores pelos trabalhos de recuperação de mata ciliar e nascentes. O pagamento é possível por meio de um convênio entre a Prefeitura de Resende e a Agevap (Agência da Bacia do Rio Paraíba do Sul), previsto em lei municipal.

 

O prefeito Diogo Balieiro Diniz recebeu em seu gabinete cinco produtores que integram a iniciativa. O projeto garantiu 70 hectares de terra beneficiados dentro das propriedades rurais, sendo 30 hectares de reflorestamento e 40 de restauração de nascentes. De acordo com o convênio, a Agevap contratou a ONG Crescente Fértil, vencedora de um edital de licitação, para realizar os serviços de recuperação de nascentes e reflorestamento de matas ciliares na bacia do Rio Sesmaria. 

 

Os recursos que garantem o funcionamento do projeto chegam da cobrança pelo uso da água (royalties da água), através dos Comitês de Bacia como a Agevap. Desta forma, a Agevap disponibiliza os recursos, a “Crescente e Fértil” realiza os serviços de plantio e manutenção junto com os produtores e AMAR (Agência de Meio Ambiente de Resende) fiscaliza, presta contas e faz o pagamento. “O pagamento aos produtores, é apenas uma forma de ajudar pelo importantíssimo trabalho realizado dentro das propriedades”, disse o prefeito. 

 

EXPANSÃO NOS PLANOS 

 

De acordo com o presidente da AMAR, Wilson Moura, a Prefeitura vem buscando novas parcerias para implantar o PSA hídrico em outras regiões do município. “Esperamos, em breve, estender a iniciativa para os Distritos de Engenheiro Passos, Fumaça, Pedra Selada, Serrinha do Alambari e Visconde de Mauá”, ressaltou Wilson Moura. 

 

O projeto faz um trabalho de levantamento dos produtores, das áreas que serão recuperadas e define ações que serão tomadas para recuperação, como reflorestamento, enriquecimento do solo, plantio de mudas, entre outras medidas.

 

- A crise hídrica é um assunto que está preocupando as cidades. Estamos tomando decisões de prevenção e proteção das nascentes. Vamos iniciar pelo Rio Sesmarias, mas queremos ampliar a parceria com produtores de outras regiões - disse. 

 

Para cada hectare de área recuperada, o produtor rural receberá o valor de R$ 200 anuais

 

Leia também: