Prefeitura de Resende intensifica combate às arboviroses e prepara campanha de mutirões

Prefeitura de resende intensifica combate às arboviroses e prepara campanha de mutirões

Reunião definirá cronograma de mapeamento de pontos críticos e ações no próximo dia 22 de novembro

 

A Prefeitura de Resende começou a intensificação do combate a arboviroses (doenças causadas pelos chamados arbovírus, que incluem o vírus da dengue, Zika vírus, febre chikungunya e febre amarela) em diversos córregos e canais da cidade. A força-tarefa foi desenvolvida esta semana, pelas equipes das Secretarias de Saúde e de Obras e Serviços Públicos. A ação, que acontece continuamente e foi reforçada neste período do ano, faz parte do cronograma do Comitê Municipal de Combate às Arboviroses, que definirá em reunião no próximo dia 22, o calendário de mutirões na luta contra o mosquito Aedes. A campanha preparada tem previsão para ser iniciada em novembro deste ano, e deverá ser estendida até o início de 2020.

 

Foram realizadas limpeza geral, coleta de larvas para análise e identificação dos pontos críticos para possíveis criadouros dos mosquitos transmissores da dengue, zika vírus e chikungunya – Aedes Aegypti e Albopictus. Os agentes promoveram os serviços de manutenção nos córregos e canais nos bairros Cabral, Morada da Colina, Boa Vista I, Surubi e Liberdade. As equipes também concentraram os trabalhos na Avenida Rita Maria Ferreira da Rocha, a Beira-Rio, no bairro Jardim Jalisco, com a limpeza nas saídas de águas pluviais. O final da Rua São Paulo, na Vila Julieta – conhecida como Alvorada, também recebeu uma atenção especial de limpeza.

 

A superintendente de Vigilância em Saúde, Carolina Bittencourt Castro Ferraz, salientou sobre a relevância da campanha que será programada para os próximos meses, reforçando que é fundamental a colaboração dos moradores para que as ações de combate aos mosquitos transmissores de doenças sejam bem-sucedidas.

 

— Planejamos e executamos ações estratégicas visando evitar a infestação, tais como: visitas domiciliares para tratamento de focos, orientações à população, recolhimento de entulhos, entre outras. Os moradores devem cuidar de seus quintais e recipientes que possam virar depósito de acúmulo de água, como baldes, pratos de plantas, potes, calhas, garrafas e pneus. Com o lema ‘10 minutos salvam vidas’, o governo estadual recomenda que a população dedique este tempo semanalmente em casa, com o intuito de eliminar possíveis criadouros. Este tempo por semana é suficiente para acabar com os focos dentro das residências. Ainda pedimos que as pessoas colaborem e abram as portas de suas casas no decorrer da campanha. No decorrer dos mutirões, são encontrados muitos imóveis fechados. Estes lugares serão visitados novamente. De forma contínua, os vigilantes sanitários do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) age preventivamente entre segunda e sexta-feira; já aos finais de semana, ocorrem os retornos de recuperação – informou.

 

A partir da reunião do dia 22, será montado um calendário especial para atender os pontos críticos do município. A Superintendência de Serviços Públicos fará parte da mobilização com o trabalho da retirada de entulhos. A população das comunidades agendadas deve estar atenta às datas a serem divulgadas pela Prefeitura, para o descarte de todos os lixos, entulhos e recipientes que sejam propícios ao acúmulo de água e proliferação dos mosquitos. A superintendente explicou como funciona a escolha dos locais a serem fiscalizados nos mutirões, segundo orientação do Levantamento de Índice Rápido para o Aedes Aegypti (LIRAa).

 

— As informações levantadas, com base no monitoramento da população do vetor da Dengue, ajudam no reconhecimento dos criadouros onde há maior predominância. Os relatórios do LIRAa, que seguem os parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde, são realizados periodicamente e encaminhados à Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Com o mapeamento, conseguimos direcionar as ações de controle para as áreas consideradas mais críticas. As ações de prevenção do CCZ feitas diariamente e a conscientização dos moradores devem ser mantidas e, quando necessário, intensificadas. Além disso, as notificações de suspeita de dengue, zika e chikungunya são primordiais no combate, pois são computadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Desta maneira, o CCZ entra em ação com visitas e procedimentos necessários na casa da pessoa com suspeita da doença e arredores – acrescentou.

 

Estéfano Cruz

Visitantes on-line

Temos agora 241 visitantes on-line

Estatísticas

Acessos
608646

Login do cliente

PUBLICAÇÃO

Cron Job Iniciado